908

22 Jan 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Trabalhar com Rigor
Alternativa de Confiança
AUTOR

PS

DATA

04.08.2015

FOTOGRAFIA

PS

Alternativa de Confiança

A coligação de direita tem vindo a afirmar que o emprego criado em Portugal nos últimos trimestres é essencialmente emprego com contrato permanente. Para o sustentar, apresenta uma estranha estatística: “por cada emprego temporário criado são criados três empregos permanentes”. Estes números, como é facilmente demonstrável, não têm qualquer aderência à realidade.

 

Recorramos às Estatísticas do Emprego do INE. Em cada trimestre, cerca de 90% dos trabalhadores desempregados ou inativos que conseguem um emprego são contratados de forma não-permanente. Esta tem sido a regra da contratação em Portugal:

 

 

Os trabalhadores não-permanentes representam cerca de 25% do total do emprego, mas cerca de 60% dos contratos que terminam em cada trimestre são de trabalhadores não-permanentes. Esta é a dimensão real da sua precariedade.

O peso do emprego não-permanente no emprego total tem vindo a aumentar de forma ininterrupta desde o início de 2013. Este indicador também não é compatível com a forma de contratação que o atual Governo tem vindo a referir. Os números que nos têm sido apresentados pela coligação PSD/CDS não têm correspondência nos dados estatísticos oficiais.

O PS sabe que é possível fazer diferente. Trabalhando com rigor e competência.

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1411
Maio 2018