1103

06 Dez 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Transportes Porto
Privatização é fanatismo ideológico para fechar negócios
AUTOR

J. C. Castelo Branco

DATA

25.08.2015

FOTOGRAFIA

Direitos Reservados

Privatização é fanatismo ideológico para fechar negócios

A “privatização ‘in extremis’ do Metro do Porto e STCP a um mês das eleições é fanatismo ideológico”, considerou o PS, pela voz de Ana Paula Vitorino, defendendo que a única “atitude decente” da coligação de direita é “parar e suspender este processo e deixar para o próximo Governo a decisão” sobre matéria tão importante para a população do Grande Porto.

 

“É profundamente lamentável que a um mês das eleições este processo se esteja a passar contra a vontade das populações e autarcas da área metropolitana do Porto”, afirma a antiga secretária de Estado dos Transportes.

Uma decisão que, segundo Ana Paula Vitorino, se “explica pelo fanatismo ideológico de um Governo em desespero para fechar negócios”.

Acrescentando estar convicta de que “se eles não estivessem convencidos de que vão perder não faziam uma coisa tão grave como esta que estão a fazer”.

A deputada do PS deixou ainda um apelo: “Tenham uma atitude decente e parem este processo como aconselha o bom senso, deixando para o próximo Governo a decisão” sobre os transportes do Porto.

 

Escândalo nacional

Afinando pelo mesmo diapasão nas críticas à fúria privatizadora do atual Governo, a Concelhia do PS/Porto considerou que o ajuste direto dos transportes do Porto é um “escândalo nacional”, já que a STCP e Metro do Porto são agora privatizados à revelia dos interesses da população, à pressa, sem concurso e em cima das eleições

A Concelhia do Porto lembra, em comunicado, que “depois do falhanço do processo de privatização da STCP e Metro do Porto há 10 dias, quando o único candidato não entregou a garantia bancária para assumir a operação, o Governo PSD/CDS decidiu agora privatizar as empresas de transportes do Porto no espaço de uma semana e por ajuste direto”.

Os socialistas do Porto afirmam ainda que “depois de tornar caótica a situação dos transportes públicos no Porto, desprezar os cidadãos e ignorar os municípios, em especial o Porto, PSD e CDS perderam de vez toda a vergonha na sua fúria centralista e privatizadora”.

Para o PS/Porto, “é politicamente inaceitável e eticamente reprovável que o Governo queira vender os transportes do Porto em 12 dias, em véspera de eleições e em prejuízo do interesse público”. Por isso, sublinham os socialistas do Porto, esta decisão lança as mais fundadas suspeições sobre este processo e confirma o que PSD e CDS farão caso ganhem as eleições: mais privatizações selvagens e mais ataques aos bens públicos”.

A Concelhia socialista conclui que “para o Porto e municípios vizinhos, só há uma garantia de defesa dos transportes públicos: derrotar PSD e CDS nas próximas eleições”.

 

AUTOR

J. C. Castelo Branco

DATA

25.08.2015

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019