1008

25 Jun 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Ensino Superior
Bolsas de mérito por pagar há três anos
AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

20.10.2015

FOTOGRAFIA

Jorge Ferreira

Bolsas de mérito por pagar há três anos

Há três anos que os melhores alunos de 2012/2013 esperam pela bolsa de mérito a que têm direito e, neste momento, ainda está a decorrer o levantamento dos estudantes elegíveis para as bolsas relativas ao ano letivo de 2014/2015.

 

O atraso no pagamento de bolsas provoca um transtorno financeiros aos estudantes, uma vez que não recebem o montante.

Por outro, há também um prejuízo curricular, na medida em que esses alunos ficam sem um certificado que comprove a excelência no curso, o que assume um peso importante na hora de procurar trabalho.

Em causa estão cerca de quatro milhões de euros e o atraso nos pagamentos foi denunciado no início do ano letivo pelos próprios estudantes, sendo que, dois meses depois, a situação mantém-se inalterada.

O Ministério da Educação limita-se a confirmar a lamentável situação: cerca de 1.600 alunos que, nos anos letivos de 2012/2013 e 2013/2014, tiveram uma média de, pelo menos, 16 valores deviam ter sido premiados com uma bolsa de estudo por mérito de cerca de 2.500 euros cada, mas o pagamento ainda não foi efetuado.

A regra é que as bolsas de mérito a atribuir num determinado ano letivo sejam pagas até ao final do ano civil, ou seja, as bolsas de 2012/13 deviam ter sido pagas em 2013.

Já no final do ano passado as associações de estudantes denunciaram as falhas nos pagamentos das bolsas de mérito e o ministro Nuno Crato acabou por proceder ao pagamento aos 818 melhores alunos do ano 2011/12.

As bolsas de mérito começaram a ser atribuídas aos alunos com desempenho excecional nas instituições públicas de ensino superior em 1998. E a partir do ano letivo 2008/2009 estas bolsas começaram a ser distribuídas também pelos melhores alunos das instituições privadas.

Recorde-se que, quando chegou ao poder, Nuno Crato pôs fim às bolsas de mérito no ensino secundário, instituídas por Maria de Lurdes Rodrigues, em 2008.

 

AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

20.10.2015

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019