1034

31 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

António Costa em Coimbra
Privatização da TAP é favor aos privados
AUTOR

J. C. Castelo Branco

DATA

23.11.2015

FOTOGRAFIA

Jorge Ferreira

Privatização da TAP é favor aos privados

António Costa acusou o Executivo PSD/CDS de “fingir” a privatização da TAP e de favorecer os privados. “Aquilo que este Governo fez foi fingir que privatizava a TAP toda, mas ficando o risco todo do lado de cá e toda a oportunidade do lado de lá”, disse.

 

O Secretário-geral do PS, que falava no sábado, em Coimbra, num encontro plenário com militantes do distrito, acusou ainda o Executivo de Pedro Passos Coelho de “fazer um favor aos privados”, considerando que quem compra o capital “também assume os riscos da compra do capital”.

António Costa lembrou que o PS sabia que a empresa precisava de se capitalizar e aceitava, no limite, que houvesse uma privatização de 49% do capital da transportadora.

No entanto, segundo o líder socialista, a “famosa” privatização da TAP assenta num modelo particularmente interessante: “Se tudo correr bem para o privado, a privatização pode consumar-se, mas se houver algum azar e as coisas não correrem bem, então a TAP pode ser devolvida ao Estado”.

 

Devolução da sobretaxa foi um logro

O Secretário-geral do PS falou uma vez mais do “logro” da devolução da sobretaxa do IRS prometida em campanha eleitoral pelo PSD/CDS para “enganar novamente” os portugueses. “Da sobretaxa não vai haver nenhuma devolução”, disse.

“Afinal os cofres não estavam cheios, afinal a economia não está a crescer como diziam, e as receitas não subiram como previram”, sublinhou.

 

PS reafirma condições para governo estável

Na sua intervenção, António Costa voltou ainda a reafirmar que “o PS está em condições de formar um Governo estável, com apoio maioritário no Parlamento”.

Um Governo, acrescentou, “que ponha fim à incerteza, à instabilidade, com um programa coerente, consistente e compatível com os nossos compromissos internacionais”.

 

AUTOR

J. C. Castelo Branco

DATA

23.11.2015

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019