1103

06 Dez 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Pescas UE
Um bom acordo para Portugal
AUTOR

Partido Socialista

DATA

16.12.2015

FOTOGRAFIA

Partido Socialista

Um bom acordo para Portugal

A ministra do Mar manifestou satisfação com o desfecho das negociações em Bruxelas sobre as possibilidades de pescas para 2016, concluídas esta madrugada. No final da maratona negocial entre os ministros do sector na União Europeia, Ana Paula Vitorino considerou tratar-se de “um bom resultado para Portugal”.

 

“Conseguimos um bom resultado para Portugal face à base de que partimos, que era de facto bastante má, e julgo que o resultado global deste Conselho foi conseguir para a pesca portuguesa possibilidades de pesca que, por um lado, satisfazem largamente aquilo que têm sido as capturas tradicionais do sector, e, por outro, também garantem a sustentabilidade ambiental das pescas”, declarou a governante.

Ana Paula Vitorino destacou a obtenção de “um crescimento global de 11,4%” nas possibilidades de pescas em águas nacionais, salientando ainda ter sido possível à negociação portuguesa atenuar substancialmente os efeitos mais negativos da proposta herdada do anterior Executivo, suavizando ou anulando cortes previstos para algumas espécies e aumentando algumas quotas.

As espécies da pescada (de 61% para 25%), do tamboril (de 19% para 10%) e do areeiro (estabilizando, quando estava previsto um corte de 26%), foram algumas das suavizações alcançadas. A posição portuguesa conseguiu, por outro lado, manter a quota de captura da raia (que previa uma redução), tal como sucedeu em relação ao bacalhau da Noruega, tendo sido obtido um aumento de 26% da quota de lagostim, o que correspondia a uma reivindicação do sector.

Ana Paula Vitorino fez ainda questão de sublinhar a importância do diálogo conduzido com os agentes do sector. "Tive oportunidade de reunir com todos os protagonistas da área da pesca, trabalhadores e armadores, coisa que farei com regularidade e antes de cada conselho, porque julgo que é minha obrigação ouvir aquilo que são as preocupações do sector nas várias perspetivas", salientou a governante.

 

AUTOR

Partido Socialista

DATA

16.12.2015

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019