1085

12 Nov 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Um cenário económico alternativo
Uma década para Portugal
AUTOR

PS

DATA

21.04.2015

FOTOGRAFIA

Jorge Ferreira

Uma década para Portugal

A cinco meses das legislativas, um Grupo de Trabalho, constituído por um conjunto de economistas maioritariamente independentes, apresenta hoje, a pedido do PS, um estudo macroeconómico que contribuirá para o enquadramento do futuro programa eleitoral, que será divulgado a 6 de junho.

 

O documento faz um diagnóstico da situação atual da economia portuguesa, partindo de uma análise dos seus atrasos estruturais e dos avanços registados nas últimas décadas ao nível das qualificações e das infraestruturas.

O exercício culmina na crítica da estratégia seguida pelo atual Governo nos últimos anos e conclui que esta estratégia destruiu riqueza e emprego e agravou a pobreza e as desigualdades sem contribuir para nenhuma transformação estrutural da economia que permita ao país crescer de forma sustentada no futuro.

Face aos problemas diagnosticados, o Grupo de Trabalho defende que as prioridades governativas na área económica devem ser articuladas em torno de seis eixos:

  • Novo impulso ao crescimento em bases sólidas (investimento e exportações) e ao emprego de qualidade;
  • Investimento na ciência e inovação e transferência de conhecimento para as empresas;
  • Proteção dos socialmente mais frágeis e promoção da equidade e da mobilidade económica e social;
  • Valorização dos recursos humanos com o contributo de todos;
  • Melhor Estado, melhores instituições e regulação dos mercados;
  • Sustentabilidade das finanças públicas.

A estratégia proposta pelo Grupo de Trabalho sugere um conjunto de medidas de política a adotar ao longo da próxima legislatura (2016-2019) que se organizam em torno de cinco grandes prioridades:

  • Políticas sociais de combate à pobreza e à desigualdade da distribuição do rendimento e políticas do mercado de trabalho promotoras da mobilidade social e do emprego em igualdade de condições;
  • Uma fiscalidade promotora da criação de emprego e do investimento em capital humano;
  • Um sistema educativo para um mundo globalizado e que dê formação ao longo da vida ativa;
  • Políticas de promoção das competências da Administração Pública, tornando-a num eixo de crescimento económico;
  • Políticas de promoção da competitividade e da internacionalização da economia em estreita ligação com o sistema educativo e científico, com um apoio efetivo dos fundos estruturais e num contexto de concertação social marcada pela negociação coletiva.

No fim do relatório apresenta-se o cenário macroeconómico final que resulta do impacto das medidas de política económica e social propostas, analisando os efeitos diretos sobre as variáveis orçamentais, bem como os efeitos indiretos sobre a economia e a maneira como estes atuam também sobre os agregados orçamentais.

 

Veja a apresentação aqui.

Veja o relatório aqui.

 

IMPORTÂNCIA POLÍTICA DO RELATÓRIO DO GRUPO DE TRABALHO

Este é um exercício inédito em Portugal, essencial para a credibilização e para a confiança dos cidadãos na ação política.

O exercício reforça a ideia de que a estratégia de empobrecimento do Governo falhou em todos os indicadores: crescimento, desemprego, défice, dívida.

O exercício mostra que a estratégia alternativa que o PS sempre defendeu, em que a consolidação orçamental é feita através do crescimento económico e não da austeridade, é a única via que permite compatibilizar a sustentabilidade das finanças públicas com o desenvolvimento do país.

No entanto, este crescimento não cai do céu: a sua aceleração exige uma nova política económica, assente numa estratégia integrada que permita ultrapassar os bloqueios estruturais da economia portuguesa.

Esta nova política económica depende do desenho e da execução de uma estratégia que responda simultaneamente aos problemas estruturais da economia portuguesa e à situação de emergência social e económica em que o país ainda hoje vive.

 

 

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019