1025

18 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Debate parlamentar
Governo garante relançamento do investimento público
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

29.09.2016

FOTOGRAFIA

Jorge Ferreira

Governo garante relançamento do investimento público

A economia portuguesa está a crescer e “queremos que cresça ainda mais”, garantiu no Parlamento o ministro da Economia, afirmando não fazer qualquer sentido o “discurso derrotista e negativista” dos partidos da direita e assegurando haver “indicações positivas” no crescimento do produto no segundo e terceiro trimestre de 2016

 

Manuel Caldeira Cabral respondia assim ao PSD, que agendou para ontem um debate parlamentar de urgência sobre a captação de investimento e crescimento económico, sustentando o ministro da Economia o seu otimismo nos resultados já conhecidos do primeiro semestre de 2016, em relação ao ano anterior, que apontam para o aumento de investimento estrangeiro produtivo de 70% na indústria transformadora e mais 60% de investimento no sector imobiliário.

Dois exemplos que segundo o titular da pasta da Economia desmentem o “discurso derrotista e negativista” da direita, e que mostram, segundo argumentou, que a economia “está a crescer” exceto no sector das telecomunicações porque “houve a compra da PT pela Althis”.

Depois de vincar que a taxa de crescimento do produto em 2015 “esteve quase um ano a desacelerar”, o titular da pasta da Economia referiu-se aos vários projetos de investimento privados que têm vindo a ser anunciados, referindo, nomeadamente, o “aumento de 7% do investimento por parte de empresas não financeiras”, assim como a criação de “89 mil empregos”, a par da “enorme aceleração da procura de fundos estruturais”.

Tudo indicadores que, segundo Manuel Caldeira Cabral, desmentem em absoluto o pessimismo e o derrotismo da direita, e que mostram uma realidade e uma evolução da economia portuguesa oposta à apresenta por PSD e CDS.

O ministro da Economia reconheceu contudo que o único investimento que “realmente baixou” foi o investimento público, lembrando a este propósito que os “procedimentos concursais para o lançar, demoram tempo” e que Portugal está “condicionado pelas regras europeias”. Mas garantiu que até ao final do ano o Governo vai relançar o investimento público, acelerando a injeção de fundos comunitários na economia.

 

100 milhões para eficiência energética

Manuel Caldeira Cabral exemplificou o incremento do investimento público com o anúncio do lançamento, “ainda esta semana”, de uma linha de investimento de 100 milhões de euros para eficiência energética em edifícios públicos, iniciativa que vai beneficiar, como garantiu, a Administração Pública, “criando emprego e fazendo baixar a prazo a despesa pública”, para além de ajudar a uma “melhoria ambiental e na saúde”.

O ministro da Economia lembrou a propósito que estas verbas do programa comunitário foram desbloqueadas por Bruxelas “há mais de um ano”, sem que o Governo anterior tivesse apresentado à União Europeia um único projeto consistente para aplicação desse dinheiro, problema, que segundo o ministro da Economia, foi ultrapassado por “este Governo em apenas quatro meses desbloqueando essas verbas”.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019