1026

19 Jul 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Parlamento
SNS apresentou melhor saldo orçamental de sempre
AUTOR

Partido Socialista

DATA

20.01.2017

FOTOGRAFIA

Jorge Ferreira

SNS apresentou melhor saldo orçamental de sempre

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, destacou ontem no Parlamento que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) terminou o ano de 2016 com o registo do seu melhor saldo orçamental de sempre.

 

“Existem boas notícias na Saúde”, sublinhou o governante, durante o debate que teve lugar sobre as políticas do sector, referindo que, para além dos bons resultados orçamentais, foi já possível em apenas um ano de Governo melhorar várias realidades e prestar mais cuidados de saúde à população.

Respondendo depois às questões dos deputados sobre o futuro das parcerias público-privadas em curso, Adalberto Campos Fernandes referiu, a este propósito, que o Governo aguarda o concurso aberto, com o objetivo de “averiguar se a gestão dos hospitais por um privado pode ser mais vantajosa para o Estado”, em função de um caderno de encargos diferenciado, garantindo que a melhor defesa do interesse do Estado será o critério que norteará a decisão nesta matéria.

Sublinhou, no entanto, que no último ano o valor das transferências de dinheiros públicos para o sector privado “foi o mais baixo dos últimos cinco anos”.

 

Regresso das horas extraordinárias para médicos

O ministro da Saúde afirmou também que neste ano de 2017 vai ser retomado o trabalho extraordinário dos profissionais médicos de urgência, “cujo final tanto contribuiu para o afastamento de profissionais e o crescimento do recurso a empresas” prestadoras de serviços.

Adalberto Campos Fernandes apontou ainda “outra boa notícia”, referindo que no ano de 2016 “o número de médicos que solicitou o fim do exercício em Portugal com vista à emigração baixou para metade”.

Sobre os investimentos previstos para o sector, o ministro concluiu, lembrando que o Governo reforçará a aposta nas infraestruturas, no valor de 40 milhões de euros, destinados a hospitais da zona de Lisboa e ao Hospital Garcia de Orta, em Almada.

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019