1045

16 Set 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Carlos César
Discurso do PSD “sem Pontal por onde se pegue”
AUTOR

Partido Socialista

DATA

01.09.2017

FOTOGRAFIA

Partido Socialista

TÓPICOS

Discurso do PSD “sem Pontal por onde se pegue”

O presidente e líder parlamentar do PS, Carlos César, assinalou que o discurso proferido por Pedro Passos Coelho na tradicional rentrée política do PSD, na Festa do Pontal, no passado dia 13 agosto, revelou uma vez mais ao país o estado da liderança da oposição: um discurso “caótico”, “sem nexo” e “errático, como tantas vezes se mostra o partido do orador”.

 

“Sempre a mesma conversa: a economia está boa por causa dele - como se os empresários investissem por causa do passado e não por confiarem no presente e no futuro”, comentou Carlos César, assinalando que o líder do PSD critica o PS por comprometer a economia ao não fazer reformas, mas que ao ser confrontado com realidade do país “não tem outro remédio do que dizer que tudo está a melhorar”.

“Afinal? Quer a tal reforma da segurança social para a privatizar e não aumentar pensões. Afinal diz que quer que os portugueses paguem mais na saúde e na educação. Afinal já não quer políticas de baixos salários, mas esteve e está contra o aumento do salário mínimo nacional. Disse que o emprego ia diminuir e agora reconhece que está a aumentar e muito”, assinalou, com ironia, o líder parlamentar socialista, elencando as sucessivas contradições no discurso de Passos Coelho.

O presidente do PS criticou também a “indignação” manifestada pelo líder do PSD por não se ter avançado com a reforma da descentralização, sublinhando que Passos Coelho “não se lembra que teve mais de quatro anos para fazê-la, quando esteve no Governo, e há dias inviabilizou no Parlamento que ela pudesse ser aprovada ou pelo menos iniciada”.

E foi ainda contundente sobre a comparação que o líder do PSD estabeleceu entre o passado e o futuro do seu partido e do PS: “Esquece que enquanto Mário Soares se orgulhava do caminho que começámos a fazer com o atual Governo, Sá Carneiro, se fosse vivo, corava de vergonha com o PSD que hoje temos”.​

Um discurso, que, no entender de Carlos César, pode ser resumido numa frase, em concordância com a rentrée social-democrata: “Sem ‘Pontal’ por onde se pegue”.

 

 

AUTOR

Partido Socialista

DATA

01.09.2017

TÓPICOS
Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019