949

22 Mar 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Comissão Europeia
Portugal cresce de forma sustentável e inclusiva
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

09.10.2017

FOTOGRAFIA

DR

Portugal cresce de forma sustentável e inclusiva

O Governo português assinala o reconhecimento por parte da Comissão Europeia (CE) de que o país regista melhorias significativas quer na economia e no emprego, quer na estabilização do seu sector financeiro.

 

Estas são conclusões que ficam patentes no relatório da 6ª missão de vigilância pós-programa de ajustamento, elaborado no passado mês de julho, documento onde, como salienta o Ministério das Finanças, aquele organismo europeu confirma que a dinâmica recente de crescimento económico, assente na “aceleração das exportações e no investimento”, supera as suas próprias projeções.

O gabinete de Mário Centeno aponta ainda que neste relatório é destacado o “forte ritmo” de criação de emprego, que em termos homólogos registou um crescimento de 3,2% no primeiro semestre de 2017, com a taxa de desemprego a situa-se pela primeira vez e ao fim de muitos anos, nos 9,3% no segundo trimestre deste ano.

Face ao relatório da 5ª missão, publicado em março de 2017, a Comissão Europeia reviu em baixa a sua própria projeção do défice português para 2017, apontando agora para um défice das contas públicas de 1,5% do PIB, aproximando-a do cenário previsto pelo Governo.

Neste relatório é ainda dada uma especial ênfase ao esforço que o Governo português tem vindo a fazer ao nível de um conjunto alargado de reformas, designadamente, como é salientado, na estabilização do setor financeiro, uma área em que a Comissão Europeia reconhece ter sido “descurada durante o Programa de Ajustamento”.

Os avanços agora reconhecidos pela Comissão, sublinha o ministério de Mário Centeno, decorrem da estratégia de equilíbrio que tem sido seguida pelo Governo, “que alia o rigor na gestão das contas públicas com a recuperação da economia”.

Esta estratégia é possível também, como reforça o Governo português, graças à atuação decisiva na resposta aos constrangimentos estruturais do país, visando corrigir os desequilíbrios económicos e sociais e gerar um crescimento sustentável e inclusivo.

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

09.10.2017

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1412
Fevereiro 2019