1048

19 Set 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Defesa
PS quer o maior consenso na proposta sobre cooperação europeia
AUTOR

Catarina Correia

DATA

06.12.2017

FOTOGRAFIA

jorge ferreira

PS quer o maior consenso na proposta sobre cooperação europeia

O Partido Socialista vai introduzir no seu projeto de resolução sobre a adesão de Portugal à cooperação europeia permanente na área da defesa a recusa de um exército europeu e da especialização das Forças Armadas nacionais, revelou hoje o deputado Vitalino Canas.

 

O Grupo Parlamentar do Partido Socialista “fez várias diligências no sentido de concertar posições e de ter uma posição desta Assembleia da República com uma votação o mais ampla possível”, explicou.

Vitalino Canas anunciou que para além de não concordar com a criação de um exército comum europeu nem com a especialização das Forças Armadas, o PS também entende “que deve haver plena complementaridade e coordenação com a NATO”.

O deputado socialista sublinhou que Portugal “é membro fundador da NATO e esteve sempre nos momentos fundadores da União Europeia depois do ano em que aderiu à UE”, querendo agora ser também “membro fundador da cooperação estruturada permanente”, que vai ser ratificada no próximo dia 11 de dezembro.

Vitalino Canas disse ainda que o Partido Socialista irá votar favoravelmente os projetos dos outros partidos favoráveis à adesão à cooperação estruturada permanente. “Depois, aquilo que é normal é que haja uma fusão dos vários aspetos neles contemplados, que aliás são aspetos todos coincidentes”, afirmou.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019