1045

16 Set 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

debate quinzenal
Carlos César critica oposição por ter “horror ao sucesso do Governo”
AUTOR

Catarina Correia

DATA

14.02.2018

FOTOGRAFIA

jorge ferreira

Carlos César critica oposição por ter “horror ao sucesso do Governo”

“Este debate, mais uma vez, demonstrou que a oposição tem horror ao sucesso do Governo e trata esse sucesso como se ele não fosse o sucesso do país”, lamentou hoje o líder parlamentar socialista durante o debate quinzenal, no Parlamento, com a presença do primeiro-ministro, que discutiu economia, inovação e conhecimento.

 

Carlos César apontou os desafios do país para aumentar a competitividade e garantir um lugar melhor entre as economias, entre eles a adequada qualificação dos recursos humanos, a valorização dos produtos nacionais, a relação indutora entre as instituições de ensino, de investigação e as empresas, a capacidade de inovação e de especialização, bem como a reorientação do investimento externo, reforçando o seu cariz inovador e diversificador. “Desses desafios a oposição parece não querer falar”, reprovou.

Na opinião do presidente da bancada socialista, são estas políticas que o Governo do PS, apoiado pelos partidos da esquerda, tem “desenvolvido que fazem da experiência portuguesa um percurso que se distingue das demais na União Europeia”.

Carlos César dirigiu-se à bancada dos sociais-democratas, durante o debate, alertando que deveriam estar preocupados não com os resultados e as contas deste Governo, “mas sim com o único Governo do PSD que resta em Portugal – o da Madeira – onde, uma vez mais, conforme demonstra o Relatório de Execução de 2017, atinge um défice orçamental pelo menos sete vezes superior ao do Governo socialista dos Açores, voltando a afetar negativamente as contas públicas e deixando aos outros faturas para pagar”.

 

Portugal cresce mais do que a média zona euro

Quanto à economia do país, o presidente socialista sublinhou que “tem o crescimento mais sustentável das últimas décadas, conjugando múltiplos fatores positivos”. “Depois do recuo no ritmo de crescimento na segunda metade de 2015, recuperámos na segunda metade de 2016, antecipando, como salientou o ministro das Finanças, a aceleração da economia europeia e crescendo mais do que a média da zona euro”, exemplificou.

“O crescimento económico alcançado coloca o país no regresso à convergência 17 anos depois, com o Governo do Partido Socialista apoiado pelos partidos da esquerda parlamentar, com um Governo que a direita diabolizou”, vincou Carlos César.

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019