1103

06 Dez 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Desempregados sem apoio
Subsídio de desemprego atinge mínimos
AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

23.06.2015

FOTOGRAFIA

PS

Subsídio de desemprego atinge mínimos

É preciso recuar uma década para encontrar um valor mais baixo de subsídio de desemprego e um número inferior de pessoas sem trabalho a receber esta prestação social.

 

No primeiro caso, a razão prende-se com a queda dos salários-base nos últimos anos, com o facto de o Governo PSD/CDS ter baixado o teto máximo do subsídio e ainda com o corte de 10% aplicado ao fim de seis meses de prestação.

Já no segundo caso, trata-se evidentemente de uma consequência da alteração dos critérios para atribuição do subsídio e de alguma ginástica estatística que visa “recortar” esta cifra negra, além de estar intrinsecamente associada à emigração “forçada” de que têm sido vítimas milhares de famílias portuguesas.

Dados recentes da Segurança Social mostram que o subsídio de desemprego chega a um universo cada vez mais pequeno de desempregados.

Há um ano, 53% dos desempregados recebiam subsídio. Agora, a taxa de cobertura é inferior a 50% se tivermos em conta os 667 800 desempregados contabilizados em abril passado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Resumindo, para muitos desempregados o subsídio chegou ao fim sem que isso significasse um regresso à vida ativa. Há menos 140 mil pessoas sem trabalho a receber um subsídio que, na generalidade dos casos, não ultrapassa, em média, os 448 euros mensais.

 

AUTOR

Mary Rodrigues

DATA

23.06.2015

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019