949

22 Mar 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Venezuela
PS apoia posição do Governo português para solucionar impasse
AUTOR

Partido Socialista

DATA

04.02.2019

FOTOGRAFIA

jorge ferreira

PS apoia posição do Governo português para solucionar impasse

O Partido Socialista manifestou hoje o seu apoio à decisão do Governo em reconhecer a legitimidade de Juan Guaidó como Presidente interino da Venezuela, considerando que essa é a solução “essencial” para ultrapassar o atual impasse político, permitir eleições livres e proteger a comunidade portuguesa.

 

A foi transmitida pela porta-voz socialista, Maria Antónia Almeida Santos, após o Governo português ter tomado a decisão de reconhecer e apoiar a legitimidade do presidente da Assembleia Nacional Venezuelana, Juan Guaidó, como Presidente interino do país.

“O PS apoia a posição do Governo português de proceder ao reconhecimento político de quem está em condições de legitimidade para poder convocar eleições de acordo com a Constituição da Venezuela. Juan Guaidó, na qualidade de presidente interino da Venezuela, é o único que tem neste momento legitimidade para concretizar um processo transição pacífica, tendo em vista a realização de eleições”, declarou Maria Antónia Almeida Santos.

A porta-voz socialista classificou mesmo como essencial “esta solução, para superar o atual impasse” na Venezuela, “devolvendo ao povo a escolha livre e pacífica”.

“Infelizmente, a Venezuela está a viver momentos muito difíceis e nós temos a obrigação de proteger a comunidade portuguesa apoiando um processo de transição pacífica”, apontou ainda Maria Antónia Almeida Santos.

“O grupo internacional de contacto, assim como a maioria dos países da União Europeia, estão a tentar concretizar um processo para a realização de eleições livres e justas. Por via desse processo, procura-se proteger não só a comunidade portuguesa – em relação à qual nós, obviamente, temos obrigação de o fazer -, mas também ajudar todo o povo venezuelano a ultrapassar este impasse”, acrescentou a porta-voz do PS.

 

Portugal reconhece e apoia Juan Guaidó como Presidente interino

O Governo português anunciou esta segunda-feira que “reconhecerá e apoiará a legitimidade do presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó”, como presidente interino da Venezuela, “nos termos constitucionais venezuelanos, com o encargo de convocar e organizar eleições livres, justas e de acordo com os padrões internacionais”.

Em conferência de Imprensa, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, sustentou que “a solução para a crise” vivida na Venezuela “não pode ser de confrontação interna nem de intervenção externa”, mas apenas por via de um processo de “transição política pacífica, através de novas eleições presidenciais”.

O chefe da diplomacia portuguesa assegurou que este apoio de Portugal a Juan Guaidó não coloca em risco a comunidade de portugueses e luso-venezuelanos residentes no país, afirmando que, “o que põe em risco” a comunidade “é o agravar da instabilidade política e das condições económicas e sociais”.

“Superar o impasse político é a melhor medida […] para defender os portugueses e luso-venezuelanos. E essa é a nossa preocupação número um”, sublinhou.

Santos Silva explicou que o apoio a Guaidó, anunciado em concertação com vários outros países da União Europeia, é uma posição política, uma vez que, do ponto de vista jurídico, “os Estados reconhecem Estados e não governos”, assegurando ainda que esta posição não prejudica o diálogo diplomático.

“Portugal reconhece o Estado da Venezuela e a Venezuela reconhece o Estado de Portugal, por isso temos relações diplomáticas”, afirmou, anunciando também que estará presente na primeira reunião ministerial do Grupo de Contacto, a realizar na próxima quinta-feira em Montevideu, capital do Uruguai.

Augusto Santos Silva deixou ainda um elogio à comunidade portuguesa e lusodescendente na Venezuela, pela forma “ordeira e pacífica” como se tem manifestado e pela “solidariedade impressionante” na proteção dos mais vulneráveis.

“A minha primeira palavra é de agradecimento pelo exemplo que têm mostrado. E, depois, uma palavra de garantia, de apoio Estado português”, afirmou.

AUTOR

Partido Socialista

DATA

04.02.2019

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1412
Fevereiro 2019