1069

18 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Legislativas
António Costa propõe conselho de concertação com as regiões autónomas
AUTOR

Partido Socialista

DATA

20.09.2019

FOTOGRAFIA

DR

António Costa propõe conselho de concertação com as regiões autónomas

O Secretário-geral do PS, António Costa, assumiu hoje, nos Açores, o compromisso de criar na próxima legislatura um conselho de concertação com as autonomias, para ouvir os presidentes das regiões autónomas antes de elaborar o Orçamento do Estado.

 

“Vamos criar um conselho de concertação com as autonomias e eu próprio reunirei todos os anos com os dois presidentes dos governos regionais, para antes de elaborar o Orçamento de Estado para o ano seguinte fazermos um balanço da situação de cada um dos serviços da República na região autónoma, para identificarmos as prioridades, as urgências e as necessidades a que temos de responder nos limites da nossa capacidade financeira”, avançou o líder socialista, durante um almoço-comício de pré-campanha para as legislativas, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

A proposta vai ao encontro do que tinha sido já defendido pelo presidente do Governo Regional e líder do PS nos Açores, Vasco Cordeiro, na sessão solene do Dia dos Açores, a 10 de junho.

Salientando que “pela primeira vez” se cumpriu a Lei das Finanças Regionais, António Costa sublinhou que as autonomias regionais não dividem o país, sendo, antes pelo contrário, “uma fonte de unidade”.

“Para nós as regiões do nosso território não se medem pelo número de eleitores, Nós sabemos bem a importância capital que os Açores têm para o nosso país”, frisou, numa referência às declarações proferidas pelo líder do PSD, Rui Rio, que disse que o arquipélago valia apenas 12 mil votos.

Na sua intervenção, António Costa assumiu também o compromisso de garantir o direito dos açorianos e dos madeirenses a circularem livremente entre as regiões autónomas e o continente.

“Há princípios fundamentais, como o da continuidade territorial, em que temos de trabalhar sempre em conjunto, para encontrar sempre as melhores soluções que garantam aquilo que é essencial, que quem quer que seja que viva numa região autónoma não é discriminado no seu acesso e na sua circulação relativamente ao continente. Essa é uma garantia que tem de existir”, sustentou o líder socialista.

Na ilha Terceira, onde nos últimos anos se assistiu a uma redução do efetivo militar da base das Lajes e onde existem solos e aquíferos contaminados no concelho da Praia da Vitória, em sequência da atividade militar, António Costa deixou também uma garantia de exigência e trabalho com as autoridades norte-americanas para assegurar que todos os compromissos e obrigações são cumpridos.

 

 

 

AUTOR

Partido Socialista

DATA

20.09.2019

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019