1069

18 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Esclerose múltipla
Aprovada proposta do PS para criar registo hospitalar nacional
AUTOR

Catarina Correia

DATA

01.02.2019

FOTOGRAFIA

jorge ferreira

Aprovada proposta do PS para criar registo hospitalar nacional

“Quando, em 30 de maio do ano passado, o Grupo Parlamentar do PS apresentou, pelo seu presidente Carlos César, uma proposta para a criação de um registo médico a nível hospitalar central, nacional e uniforme, e que fosse comparável para todos os hospitais, não estávamos a imaginar que este período que mediou a apresentação dessa proposta até ao debate de hoje gerasse um consenso tão grande”, sublinhou hoje, no Parlamento, o deputado socialista Luís Graça durante a apresentação do projeto de resolução do PS que recomenda ao Governo que diligencie a implementação de um registo hospitalar no Serviço Nacional de Saúde de pessoas com esclerose múltipla.

 

“Isso é bom”, reagiu o parlamentar, que lembrou que se trata de uma doença crónica, inflamatória, degenerativa e que afeta sobretudo as pessoas mais jovens entre os 20 e os 40 anos, principalmente mulheres.

A esclerose múltipla “tem um impacto humano, social e económico muito forte, tanto na vida dos doentes como na vida das suas famílias, desde logo porque esta doença não tem cura”, alertou.

Luís Graça explicou que, “apesar deste retrato tão impactante, ainda é uma doença desconhecida”. Por isso, é necessária a criação de um registo nacional de doentes que permita melhorar a exatidão no diagnóstico, a identificação e monitorização dos doentes e a sua evolução clínica, a evolução da sintomatologia, e a procura de novos biomarcadores que possam indicar a existência da doença o mais cedo possível.

“Até hoje, em Portugal, o que temos é um registo da informação clínica do doente feito pelo médico, que escreve aquilo que considera mais importante”, sendo que esta informação fica no hospital onde o paciente é seguido, disse.

Ora, este registo precisa de ser comparado, daí a importância de se criar “um registo nacional, central, uniforme e que seja comparável em todo o país”, asseverou o deputado do PS.

O projeto de resolução do Partido Socialista foi hoje aprovado por unanimidade na Assembleia da República.

AUTOR

Catarina Correia

DATA

01.02.2019

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019