1069

18 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Pedro Delgado Alves
Direita tem discurso desligado da realidade do país
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

27.12.2018

FOTOGRAFIA

jorge ferreira

Direita tem discurso desligado da realidade do país

O Partido Socialista, pela voz do deputado Pedro Delgado Alves, considerou a mensagem de Natal do líder do PSD “pouco eficaz” e pouco séria, acusando Rui Rio de ter feito um balanço da atividade governativa que “abandona a verdade” e de estar sustentada na mais pura das “realidades virtuais”.

 

Considerar que o ano de 2018 fica marcado pelo “falhanço do Estado em garantir a segurança dos portugueses”, designadamente nas áreas sociais, como afirmou o presidente do PSD, é para Pedro Delgado Alves não só uma leitura errada e virtual da realidade portuguesa, como contraria todos os números tornados públicos pelos mais variados organismos nacionais e internacionais.

Neste sentido, o dirigente socialista aconselhou o líder do PSD a olhar com olhos de ver para o que “efetivamente está a acontecer no país”, onde se regista, como garantiu, “crescimento económico, devolução efetiva de rendimentos às famílias, serviços públicos em recuperação e contas públicas saudáveis”, acusando Rui Rio por ter preferido enveredar por uma intervenção onde escolheu “empolar um conjunto de ocorrências em torno de áreas ligadas à segurança”, com o objetivo criticável de “gerar algum alarmismo social” que pretende utilizar, como acrescentou Pedro Delgado Alves, para “fundamentar uma narrativa que é contrária às evidências”.

Não descurando o facto do PS ser o “primeiro a reconhecer” que há ainda um longo caminho a percorrer e “muito trabalho para fazer em muitas áreas”, o deputado socialista fez, contudo, questão de lembrar que nem tudo pode avançar com a rapidez desejada, lembrando a propósito que Portugal saiu há muito pouco tempo de um período de resgate financeiro, o que não impede, como admitiu, que o papel da oposição “seja o de criticar o Governo”, devendo essas críticas, como também realçou, “terem um mínimo de adesão à realidade”.

Para Pedro Delgado Alves, ao contrário do que afirma o líder da oposição, Portugal regista hoje “inegavelmente”, graças às políticas do atual Governo, para além de uma mais sólida recuperação económica, “mais respostas sociais” comparativamente à realidade que existia quando o PS assumiu responsabilidades governativas há pouco mais de três anos, dando como exemplo a área da saúde em que, “acima de tudo”, como assinalou, se está a “recuperar do desinvestimento” executado pela direita, recordando que “só agora se está a conseguir ultrapassar os cortes que foram impostos na saúde pelo anterior Governo”.

“Não é acicatando e procurando criar alarmismos ou empolar ocorrências”, como fez Rui Rio na sua mensagem de Natal aos portugueses, “que se consegue fazer oposição séria e assente na verdade”, vincou Pedro Delgado Alves.

Depois de sustentar que o país “está num rumo que é aquele que tem devolvido esperança e confiança aos portugueses”, o deputado socialista lembrou que também no ensino superior, e “pela primeira vez”, se regista uma redução clara de propinas, iniciativa que foi aliás, como também fez questão de assinalar, “merecedora da oposição do PSD”, que preferiu não “abraçar esta medida como sendo valorizadora para o setor”.

 

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

27.12.2018

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019