1102

05 Dez 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

ANA CATARINA MENDES
É com o PS na Europa que reforçamos mais justiça social e mais igualdade

É com o PS na Europa que reforçamos mais justiça social e mais igualdade

Precisamos de um PS “forte” e com “ambição” para termos uma “Europa capaz de desenvolver os direitos humanos, a solidariedade e o desenvolvimento do projeto europeu”, defendeu a Secretária-geral adjunta socialista, Ana Catarina Mendes, ontem em Aveiro.

 

A poucos dias das eleições europeias que vão ter lugar no próximo domingo, dia 26, Ana Catarina Mendes salientou a “extraordinária campanha que o PS fez pela Europa e por Portugal”.

Falando no comício realizado ontem, no parque de exposições, em Aveiro, a Secretária-geral adjunta do PS destacou o trabalho que o Partido Socialista tem vindo a realizar “desde janeiro” com as convenções regionais, que permitiram “ouvir cada região” e reconhecer “como a Europa desenvolveu o nosso país e cada região”.

“Foi assim em centros de saúde que hoje frequentamos. Foi assim na escola pública que hoje é uma escola de qualidade. Foi assim nos centros de investigação de excelência, como, por exemplo, aqui, na Universidade de Aveiro, com o primeiro polo a fazer a ligação das universidades às nossas empresas”, sublinhou.

Relativamente às sondagens que apontam para uma vitória eleitoral do PS no próximo domingo, Ana Catarina Mendes afirmou que “a verdadeira sondagem que conta é a ‘sondagem’ do próximo domingo para uma grande vitória do Partido Socialista”.

A dirigente do PS referiu-se, depois, com ironia ao recente ressurgimento no panorama político do anterior primeiro-ministro, dizendo que “foi bom e pedagógico ver o regresso de Pedro Passos Coelho à campanha das eleições europeias e à cena política”, lembrando que os portugueses sabem bem “quem queria privatizar a Segurança Social e quem queria ir além da ‘troica’, orgulhosamente”.

“Com isso, foram roubados direitos, a esperança e a confiança aos portugueses. Por isso, hoje, estamos perante o PSD de sempre, com o ideais de sempre: cortar, empobrecer, privatizar e sem qualquer ambição de projeto social para Portugal ou para a União Europeia”, afirmou.

“Mas não temos memória curta. Os portugueses sabem mesmo muito bem o que as suas vidas mudaram nestes últimos três anos e meio”, disse a deputada socialista, referindo-se ao sucesso das políticas do Governo liderado por António Costa.

Sobre o futuro da Europa, Ana Catarina Mendes defende que “precisamos de ter uma frente progressista na Europa capaz de desenvolver os direitos humanos, a solidariedade e o desenvolvimento do projeto europeu”.

“Só é possível responder aos desafios globais que enfrentamos, como as alterações climáticas, como a revolução digital, ou como o combate às desigualdades, se estivermos integrados num projeto político “a sério”, e, para dirigente socialista, “esse projeto político é mais democracia, mais justiça social, mais igualdade. É na Europa e será sempre na Europa que encontramos as respostas para os nossos cidadãos”, afirmou.

“Todos somos poucos para lutar por uma Europa mais forte, contra a xenofobia e contra o racismo. É com isso que conto com todos aqueles que se mobilizarem por um projeto de paz e solidariedade”, disse Ana Catarina Mendes.

A construção de uma Europa mais coesa, solidária, justa e desenvolvida passa por reforçar a presença e ação do Partido Socialista.

“É preciso um PS, liderado por esta equipa fantástica que o Pedro Marques encabeça, ter uma voz mais forte, uma voz de ambição. Uma voz que diga que é possível contruir um caminho de sonho, de progresso, de futuro para os mais novos e para os mais velhos, para todos nós, porque todos nós somos Europa”, concluiu.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019