1069

18 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Comissão Europeia
Escolha de Elisa Ferreira é “um prestígio” para Portugal
AUTOR

Partido Socialista

DATA

02.09.2019

FOTOGRAFIA

dr

Escolha de Elisa Ferreira é “um prestígio” para Portugal

O primeiro-ministro, António Costa, indigitou a ex-ministra Elisa Ferreira para integrar o colégio de Comissários da futura Comissão Europeia, uma escolha que mereceu a congratulação do Partido Socialista, representando “um prestígio para Portugal na União Europeia”.

 

“A escolha de Elisa Ferreira é uma escolha de excelência e de competência que prestigia o país. Elisa Ferreira tem um percurso de rigor, de excelência e de competência e, por isso, prestigiará Portugal na União Europeia”, referiu a Secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes.

O líder do Governo português teve já ocasião de se reunir, em Lisboa, com a comissária indigitada, agradecendo a Elisa Ferreira o ter aceite o convite e desejando-lhe “as maiores felicidades no exercício das funções”.

António Costa referiu ter tido “o privilégio de trabalhar várias vezes com Elisa Ferreira – fomos colegas de Governo, colegas na Assembleia da República e no Parlamento Europeu”, descrevendo a comissária indigitada como “uma mulher que tem larga experiência política em Portugal e um grande conhecimento do território”, pela sua experiência na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, quer ainda como ministra do Planeamento e ministra do Ambiente, a par de “uma vasta experiência europeia”, tendo contribuído “para desenvolver políticas muito importantes na resposta à crise, enquanto coordenadora do grupo socialista no Parlamento Europeu”.

O primeiro-ministro destacou ainda a forma como Elisa Ferreira “tem trabalhado ao longo do último ano como vice-governadora do Banco de Portugal, contribuindo bastante para a sua credibilização, nomeadamente na função de supervisão”.

“Estou, por isso, seguro de que é alguém que tem todas as competências pessoais, técnicas, políticas e de escala europeia para honrar Portugal enquanto comissária”, disse António Costa, acrescentado que “o Governo sempre disse que escolheria a pessoa com o perfil adequado ao pelouro”.

“Estou muito satisfeito e Ursula von der Leyen [presidente da Comissão Europeia] também está muito satisfeita com a escolha”, sublinhou.

António Costa dirigiu ainda um agradecimento ao atual comissário Carlos Moedas, que também participou na reunião, fazendo questão de expressar “um grande orgulho” pela forma como Portugal esteve, ao longo dos últimos cinco anos, representado na Comissão Europeia.

“Enquanto primeiro-ministro quero agradecer a forma impecável como mantivemos sempre um relacionamento muito estreito”, disse, acrescentando que “sempre respeitando a independência própria de um comissário europeu, Carlos Moedas foi um incansável defensor dos portugueses e de Portugal em todas as circunstâncias”.

Elisa Ferreira foi ministra dos governos chefiados por António Guterres, primeiro com a pasta do Ambiente, entre 1995 e 1999, e depois do Planeamento, entre 1999 e 2002, e ocupa, desde setembro de 2017, o cargo de vice-governadora do Banco de Portugal.

O colégio de comissários terá ainda de ser aprovado pelo Conselho Europeu, que integra os Chefes de Estado e de Governo dos países membros, e pelo Parlamento Europeu, que procede à votação final.

A pasta a ser atribuída à futura comissária portuguesa será comunicada pela presidente eleita da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

 

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019