1071

22 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Fábrica Bordallo Pinheiro
Exemplo de inovação e modernização empresarial

Exemplo de inovação e modernização empresarial

António Costa esteve esta manhã na inauguração da nova unidade da fábrica das Faianças Bordallo Pinheiro, nas Caldas da Rainha, onde enalteceu a recuperação e a capacidade de inovação da empresa.

 

“Uma empresa como a Bordallo [Pinheiro] é uma empresa que está para lá dos ciclos económicos”, disse esta manhã o primeiro-ministro, António Costa, durante a inauguração do projeto de expansão e modernização da fábrica das Faianças Bordallo Pinheiro, nas Caldas da Rainha.

O primeiro-Ministro elogiou a capacidade de inovação e a resiliência das Faianças Bordallo Pinheiro que, depois de a empresa centenária ter recuperado de um processo de falência, inaugura agora um processo de expansão que corresponde a um investimento superior a nove milhões de euros.

Esta nova unidade visa suportar a inovação produtiva, aumentar os níveis de conceção e expandir a capacidade de produção da marca Bordallo Pinheiro para os mercados externos.

“Quando se investe num valor seguro, como é a marca Bordallo e os seus produtos, podemos ter confiança de que esse investimento vence seguramente qualquer ciclo económico”, referiu António Costa.

Acompanhado do ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, o primeiro-ministro destacou, ainda, a capacidade de “manter viva a produção original”, mas de, simultaneamente, “reinventar e dar continuidade” às peças criadas por Rafael Bordallo Pinheiro.

O projeto de expansão hoje inaugurado visa “suportar a inovação produtiva, aumentar os níveis de concetividade e expandir a sua capacidade de produção para os mercados externos”, referiu Nuno Marques, presidente do conselho de administração do Grupo Vista Alegre [detido pelo Grupo Visabeira] onde a Bordallo Pinheiro se insere.

A empresa, em 2018 (apesar dos constrangimentos das obras), aumentou o seu volume de negócios em 6%, atingindo os 6,4 milhões de euros, dos quais 50% resultaram de exportações.

Com esta nova unidade industrial, que ocupa uma área de 12 mil metros quadrados, o número de trabalhadores passará para 270 pessoas e permitirá aumentar para 75% a quota de mercado externo, tendo como principais países importadores a França, Itália, Espanha, Reino Unido, Holanda, Suécia, Estados Unidos e Japão.

A empresa, que este ano comemora 135 anos, tem ainda previstos investimentos na remodelação da Loja e do Museu Bordallo, localizados nas primeiras instalações fabris, situadas nas Caldas da Rainha, onde também deverá abrir uma nova loja de peças da marca.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019