1069

18 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Investimento na Saúde
Governo avança 150M€ para construção do novo hospital central do Alentejo
AUTOR

João Quintas

DATA

26.07.2019

FOTOGRAFIA

dr

Governo avança 150M€ para construção do novo hospital central do Alentejo

O Governo autorizou despesa até 150 milhões de euros para a construção do novo hospital central do Alentejo. O futuro hospital vai servir cerca de 700 mil pessoas e poderá ter 487 camas.

 

O Conselho de Ministros, reunido ontem, em Lisboa, aprovou a realização de despesa até cerca de 150 milhões de euros para a celebração do contrato de empreitada para a construção do novo Hospital Central do Alentejo, em Évora.

A decisão autoriza “a ARS do Alentejo a assumir a realização da despesa no montante máximo de cerca de 150 milhões de euros”, a qual será repartida “por quatro anos”, até 2023, e inscrita “no orçamento da ARS do Alentejo”, disse a ministra da Saúde, Marta Temido.

A ministra esclareceu, ainda, que o futuro hospital irá substituir o atual Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) e vai “funcionar como hospital central para toda a região do Alentejo”.

O novo hospital ficará dotado de uma elevada gama de recursos tecnológicos que permitirá “responder às necessidades de toda a população do Alentejo, reduzindo significativamente o recurso a cuidados fora da região, quer ao nível das camas de Cuidados Intensivos e Intermédios, quer ao nível das salas de bloco operatório e de recobro, avançou Marta Temido.

A ministra referiu, ainda, que “o projeto tem uma incidência significativa de áreas de ambulatório, acompanhando as modernas tendências de prestação de cuidados, e irá garantir um conjunto de novas especialidades como a cirurgia plástica, vascular, imunoalergologia, infeciologia e neurologia, entre outras”.

A futura unidade hospitalar vai dar resposta às necessidades de toda a população do Alentejo, com uma área de influência de primeira linha que abrange cerca de 200 mil pessoas e, numa segunda linha, mais de 500 mil pessoas.

O novo hospital, que irá ocupar uma área de 1,9 hectares, terá uma lotação de 351 camas em quartos individuais, que, em caso de necessidade, pode ser aumentada até 487 camas. O hospital contará com 11 blocos operatórios, três dos quais para atividade convencional, seis para atividade de ambulatório e dois para atividade de urgência, cinco postos de pré-operatório e 43 postos de recobro.

 

PS/Évora saúda Governo

A Federação Distrital de Évora do PS saúda a decisão do Governo que irá permitir construir “uma obra há muito desejada” e, assim, cumprir um compromisso do PS.

A construção do novo hospital é “uma obra há muito desejada pela população alentejana. Trata-se de mais um compromisso político do PS com o Alentejo que vai ser concretizado”, refere o comunicado dos socialistas de Évora.

“Os alentejanos não esquecem que quando se trata de obras estruturantes para o Alentejo é sempre o PS que se chega à frente”, lembra a mesma nota, acrescentando que “foi assim na legislatura 1995/1999 com o Alqueva”.

“Nos anos seguintes com os investimentos no regadio e na construção de escolas. É, agora, com o Hospital Central do Alentejo, a barragem do Pisão, novos blocos de rega e a linha ferroviária Sines/Elvas, entre outras”, lembra a estrutura federativa dos socialistas de Évora.

 

 

AUTOR

João Quintas

DATA

26.07.2019

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019