1069

18 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Plano intervenções 2019
Governo investe 103 milhões na prevenção estrutural de incêndios
AUTOR

João Quintas

DATA

25.02.2019

FOTOGRAFIA

dr

Governo investe 103 milhões na prevenção estrutural de incêndios

O plano de prevenção estrutural de incêndios 2019 prevê um investimento, pelo Governo, de 103 milhões de euros na para intervenção nas matas públicas e capacitação de sapadores florestais.

 

O anúncio foi feito na passada sexta-feira, dia 22, pelo Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, durante a apresentação do plano de intervenção.

O plano elaborado pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), define quatro setores de intervenção, dos quais se destaca a intervenção nas matas públicas, nos baldios e nas redes primária e secundária de defesa da floresta contra incêndios, onde vão ser investidos 45,6 milhões de euros.

Melhorar a capacidade de intervenção das equipas de sapadores florestais, brigadas de sapadores florestais e gabinetes técnicos florestais é outro eixo de intervenção que irá dispor de 40,4 milhões de euros.

O Governo irá investir 14,7 milhões de euros na sensibilização para a mudança de comportamentos e, ainda, 2,3 milhões de euros no ICNF, conforme informou o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

Luís Capoulas Santos referiu que a área que tutela, “no contexto global de prevenção, suporta os encargos financeiros equivalentes a 2/3 do total da despesa, superior a 100 milhões de euros”, sublinhou.

O governante defendeu este investimento é perfeitamente justificado, visto que o ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural “gere uma importante área florestal” e, simultaneamente, é responsável pelas ações de prevenção estrutural sobre “a rede primária de defesa da floresta contra incêndios” que abrange cerca de 12 mil quilómetros.

Salientando o trabalho já desenvolvido, o ministro recordou que “entre 2006 e 2017, foram executados cerca de 1 100 quilómetros” da rede primária, sendo que, nos dois últimos anos, foram executados “cerca de 4 500 quilómetros”, salientou.

“Fizemos, em dois anos, quase quatro vezes mais do que foi feito nos 12 anos anteriores”, referiu o governante, manifestando que o Governo pretende “manter este ritmo nos próximos dois anos, para que até ao final de 2021 tenhamos a rede primária concluída”, afirmou Capoulas Santos.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019