986

20 Maio 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Mais emprego criado e diminuição significativa do desemprego
Dados oficiais atestam recuperação da economia portuguesa
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

29.07.2016

FOTOGRAFIA

DR

Dados oficiais atestam recuperação da economia portuguesa

Segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE), o segundo trimestre de 2016 mostra sinais evidentes de uma recuperação da economia portuguesa, com o desemprego a baixar e o aumento de novos empregos.

 

Reagindo aos dados do INE, o deputado socialista, João Galamba, salientou que os números agora divulgados, mostram, tal como o Governo tem vindo a defender, que há de facto uma recuperação da economia, visível na efetiva “redução do desemprego” e na criação de “novos empregos”, sendo que a taxa de desemprego, realçou, é hoje a “mais baixa desde agosto de 2009”.

Se dúvidas existissem de que a economia está mesmo a crescer, basta analisar os dados mais recentes do INE, onde de forma clara se indica que foram criados nos últimos meses em Portugal mais de 50 mil empregos, a par de uma assinalável baixa da taxa do desemprego, “como já não se via desde 2009”, e abaixo do previsto no orçamento, cenário que, para o deputado socialista, é um manifesto indício de que existe mesmo “uma recuperação da economia”, cumprindo-se assim “uma das prioridades do PS e do Programa do Governo”.

João Galamba falava aos jornalistas no Paramento, no mesmo dia em que o INE revelava que a taxa de desemprego terá ficado no mês de junho nos 11,2%, recuando 0,9 pontos percentuais em relação ao mesmo mês de 2015.

 

A economia está a acelerar

Também o Executivo, através do ministro dos Negócios Estrangeiros, reagiu aos dados do INE, congratulando-se Augusto Santos Silva com a baixa da taxa do desemprego e o aumento de novos empregos que se verificou no segundo trimestre, realçando que são dados que “confortam o Governo” e que sustentam a avaliação que tem vindo a fazer de que há “claros sinais de uma aceleração da economia”.

Igualmente o ministro da Economia, que ontem se encontrava numa visita a uma exposição de mobiliário em Matosinhos, tendo na ocasião destacado que as exportações deste sector estão a crescer 15%, mostrou-se convicto de que algumas das políticas que o Governo está a desenvolver, nomeadamente de “mobilização dos fundos comunitários e da capacidade de investimento”, começam a dar resultados, defendendo Manuel Caldeira Cabral, que os recentes dados do INE “demonstram claramente que existe um crescimento do emprego e uma redução importante do desemprego”.

O titular da pasta da Economia mostrou satisfação por a taxa de desemprego ter baixado para números que “já não se viam há mais de sete anos”, voltando a socorrer-se dos dados do INE, quando assinalam que a população desempregada era no mês de junho de 2016 de 568 mil pessoas, um decréscimo de 0,7% face ao valor definitivo obtido em relação ao anterior mês de maio de 2016, ou seja, menos 4 mil pessoas desempregadas.

Manuel Cadeira Cabral salientou ainda que estes números “invertem por completo” o cenário que Portugal estava a viver no final do ano passado, quando a economia se encontrava em arrefecimento, referindo que o crescimento do emprego e a descida do desemprego são um reflexo claro do trabalho que o Governo está a empreender.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1412
Fevereiro 2019