990

24 Maio 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Economia cresceu 2,8% no primeiro trimestre
Portugal confirma crescimento sustentado igualando valor mais elevado do século
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

15.05.2017

FOTOGRAFIA

DR

Portugal confirma crescimento sustentado igualando valor mais elevado do século

O Produto Interno Bruto (PIB) português cresceu 2,8% no primeiro trimestre deste ano por comparação com período homólogo, voltando a igualar o valor mais elevado do século.

 

Uma aceleração do crescimento económico que ocorre ao mesmo tempo que se verifica uma acentuada e inédita descida do défice das contas públicas, associada a um maior dinamismo das exportações e do investimento, dados que são agora atestados pelo INE, e que vêm confirmar o que o Governo há muito vem defendendo: de que é “sustentável e equilibrado” o padrão de crescimento da economia portuguesa.

Em Odemira, no distrito de Beja, onde se deslocou para uma visita a uma empresa hortofrutícola, o primeiro-ministro, António Costa, reagiu aos números do INE sustentando que o crescimento de 2,8% do PIB, verificado no primeiro trimestre deste ano, vem mostrar, que a “confiança dos portugueses não era infundada” e que a combinação das políticas defendidas pelo Governo “é a mais adequada”.

Para o primeiro-ministro, este salto qualitativo que se verificou na economia portuguesa é a prova de que a prioridade dada pelo Governo à reposição de rendimentos das famílias portuguesas “não comprometeu a competitividade”, pelo contrário, sustentou António Costa, “reforçou a coesão e a confiança”, aspetos que são “indispensáveis ao crescimento”.

Reconhecendo que há “todo um ano ainda pela frente”, o primeiro-ministro manifestou otimismo em relação à economia portuguesa, sustentando que a política seguida pelo Governo que lidera “está adequada” e é a que melhor responde ao “consistente crescimento do emprego, ao aumento do investimento, das exportações e ao crescimento sustentado do consumo interno”.

O que os dados do INE vêm agora demonstrar, disse ainda António Costa, é que com o atual Governo, o ciclo de desaceleração da economia, que se verificava desde meados de 2006, foi invertido, confirmando-se uma “aceleração sustentada”.

Estes dados, que vieram superar, como aliás o primeiro-ministro reconheceu, as expectativas traçadas pelo Governo, no Orçamento do Estado para 2017 e no Programa de Estabilidade 2017/2021, são mais um incentivo para que o Governo continue a trabalhar para “estimular o crescimento económico, a criação de emprego, aumentar a coesão social e a consolidação sustentável das contas públicas” de modo a que haja o mais rápido possível uma “convergência com a Europa”.

AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

15.05.2017

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1413
Maio 2019