986

20 Maio 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Territórios afetados pelos incêndios
Programa de revitalização do interior avança na região centro
AUTOR

Rui Solano de Almeida

DATA

20.07.2017

FOTOGRAFIA

DR

Programa de revitalização do interior avança na região centro

“Só através da revitalização económica e social” dos territórios afetados pelos incêndios florestais “é possível travar o despovoamento”, defendeu o primeiro-ministro, perante os presidentes dos sete municípios do Pinhal Interior, na região Centro.

 

Para o primeiro-ministro, só apostando em medidas que revitalizem “económica e socialmente” os territórios afetados pelos incêndios florestais pode haver população, produção de riqueza e geração de emprego, fatores que, na opinião de António Costa, são determinantes para fixarem populações e “permitir que se possa travar o despovoamento”.

Neste sentido, e após a reunião que manteve com os presidentes dos sete municípios que integram a região do Pinhal Interior - Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera, Pampilhosa da Serra, Góis, Penela e Sertã - o primeiro-ministro garantiu que o Governo “tem o objetivo” de aprovar o programa de revitalização e reordenamento até meados de agosto, uma vez que é essencial, como referiu, “arrancar com os trabalhos também nessa dimensão de médio e longo prazo”.

Depois de defender que é necessário ordenar a floresta portuguesa, designadamente, como sustentou, com “espécies diversificadas, que assegurem rendimento a curto e a longo prazo” aos seus proprietários, o primeiro-ministro foi mais longe dizendo acreditar que é possível apostar numa floresta “com uma rede estrutural de proteção” devidamente consolidada e que seja um “fator de riqueza do país e não uma ameaça para as populações”.

 

Unidade de Missão com novo coordenador

O primeiro-ministro anunciou também que o ex-presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, João Paulo Catarino, irá assumir as funções de coordenador da Unidade de Missão para a Valorização do Interior, entidade que será sediada em Pedrógão Grande.

Uma escolha, que na opinião de António Costa, merece toda a garantia, já que se trata de um homem, como justificou, que “é da região”, que foi durante muitos anos autarcas e que “acumula uma grande competência na área florestal”.

João Paulo Catarino, que foi até há poucos dias o número dois de Helena Freitas nesta unidade de missão, é licenciado em engenharia agrónoma e do seu vasto currículo consta o desempenho, entre 1999 e 2004, das funções de vereador na Câmara Municipal de Proença-a-Nova, assumindo mais tarde a tarefa de liderar a autarquia, entre 2005 e 2016.

Desempenhou ainda a função de engenheiro florestal no Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e foi o responsável pela Divisão do Núcleo Florestal do Pinhal Interior Sul, entre 2004 e 2005, e ainda adjunto do secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e das Florestas, em 2005.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1412
Fevereiro 2019