1069

18 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Relatório
OCDE dá nota positiva à economia portuguesa
AUTOR

João Quintas

DATA

19.02.2019

FOTOGRAFIA

dr

OCDE dá nota positiva à economia portuguesa

O relatório da OCDE, apresentado ontem, em Lisboa, salienta a recuperação e sustentabilidade da economia nacional. A economia portuguesa “está na direção certa”, disse o secretário-geral da organização.

 

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) apresentou esta segunda-feira, em Lisboa, o relatório bianual da dedicado à economia portuguesa.

Nesta avaliação, a organização destaca vários fatores positivos, nomeadamente, a recuperação económica de Portugal, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para níveis anteriores à crise, a redução substancial da taxa de desemprego e o aumento do investimento. O relatório salienta, ainda, o impulso que o consumo interno e as exportações conferiram à economia nacional.

Na sessão de apresentação do relatório, o ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, referiu a “necessidade de continuar a apostar na qualificação, nomeadamente dos desempregados de longo prazo” e salientou a importância de trabalhar em conjunto com a OCDE, designadamente “na formulação de políticas públicas e no acompanhamento da sua execução”.

O ministro referiu que “o Governo se reconhece em muitas sugestões” apresentadas no relatório da OCDE, nomeadamente, sobre a importância de “trabalhar na atração de imigrantes e dos que já emigraram nos últimos anos e que partiram em número tão significativo”, tendo referido, como exemplo, o programa Regressar, que tem sido uma prioridade do Governo.

A aposta no “crescimento verde”, que o Executivo tem vindo a realizar através de várias medidas, entre as quais o “apoio aos transportes públicos” e reforço das respetivas frotas e da “tributação das fontes de energia mais poluentes, no sentido de reduzir a intensidade em dióxido de carbono”, é outra das recomendações que constam no relatório.

É importante “continuar a trabalhar na proteção de grupos mais vulneráveis como os desempregados de muito longa duração e os segmentos da população com mais baixas qualificações, que são também aqueles em que os rendimentos são mais reduzidos”, considerou Siza Vieira, referindo-se a outra recomendação da OCDE que está em sintonia com a política e atuação do Governo.

O ministro reforçou que “Portugal continuará a trabalhar na simplificação dos procedimentos administrativos e na melhoria do desempenho dos tribunais”, o que corresponde a um dos aconselhamentos inscritos no relatório.

“O Governo está comprometido com o reforço da competitividade das empresas e da intensidade exportadora da nossa economia”, reafirmou o responsável pela pasta da Economia.

 

Economia portuguesa está “na direção certa”

O relatório da OCDE foi apresentado pelo secretário-geral da organização, Angel Gurría, que salientou o facto da economia portuguesa estar “na direção certa” rumo ao crescimento sustentável.

“As ambiciosas reformas estruturais implementadas com sucesso por Portugal, na última década, contribuirão para a continuação da recuperação. A economia está a evoluir na direção certa para promover um crescimento mais sustentável”, disse Angel Gurría.

A secretário-geral da OCDE considera que “quanto mais Portugal reforçar a sua capacidade de resistência, enquanto a economia estiver a crescer, tanto melhor estará preparado para responder a eventuais choques futuros, assegurando a sustentabilidade e a inclusividade da sua recuperação económica”, referiu o responsável.

“Dez anos depois de uma crise muito destrutiva, a recuperação está agora bem consolidada”, congratulou-se Angel Gurría.

AUTOR

João Quintas

DATA

19.02.2019

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019