1068

17 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Rentrée na Madeira
Paulo Cafôfo saúda “onda de mudança” pelo reforço da autonomia
AUTOR

Partido Socialista

DATA

02.09.2019

FOTOGRAFIA

dr

Paulo Cafôfo saúda “onda de mudança” pelo reforço da autonomia

O candidato do PS à presidência do Governo Regional da Madeira, Paulo Cafôfo, saudou o significado da tradicional rentrée política socialista se ter realizado, pela primeira vez, na Região, afirmando que a grande mobilização a que se assistiu em Machico, com a presença do Secretário-geral, António Costa, traduz um sinal de enorme confiança em que a Madeira irá mudar no dia 22 de setembro, data das legislativas regionais.

 

“Isto que estamos aqui a presenciar hoje é uma onda de mudança, que tomou forma em 2013, foi reforçada em 2017 e será ampliada já no próximo dia 22 de setembro”, disse o candidato socialista, lembrando a importância dos compromissos e exigências da população madeirense e porto-santense.

Depois de referir que a Região deve merecer, de forma inequívoca, a solidariedade nacional e que o reforço da autonomia é o garante do progresso da Madeira, Paulo Cafôfo defendeu que “temos uma exigência de rever a Lei das Finanças Regionais”.

“Temos de usar as ferramentas autonómicas da forma que melhor servem os madeirenses e os porto-santenses, conferindo-lhes capacidade financeira e capacidade de agir e decidir sobre a sua vida. É por isso que precisamos de ter autonomia financeira para termos autonomia política. Só teremos esta autonomia se a Lei das Finanças Regionais puder ser alterada”, sustentou.

O cabeça-de-lista do PS às eleições regionais lembrou que o Governo de Passos Coelho menorizou o princípio da solidariedade nacional, limitando, em 2013, a capacidade da Região em “empreender medidas e políticas económicas e orçamentais”, sendo necessário, com um novo fôlego político na Região, “repor a justiça”.

Na sua intervenção, Paulo Cafôfo sublinhou também a importância de assegurar a ligação de ferry durante todo o ano com Lisboa, a par de uma terceira companhia aérea a operar na rota Lisboa-Funchal, compromissos para assegurar o direito à continuidade territorial, apontando ainda a Saúde, o Emprego, a Educação e a Habitação como grandes áreas prioritárias do programa para o futuro governo socialista na Região.

O candidato defendeu ser preciso mudar, para “não perpetuarmos esta estagnação em que nos encontramos”, frisando que o PS é a única solução política com condições para tornar possível um governo que faça progredir a Madeira e melhorar a vida dos madeirenses e porto-santenses.

 

Coligação com a sociedade para fazer história na Região

Por seu turno, o presidente do PS-Madeira, Emanuel Câmara, mostrou-se convicto de que o poder que se perpetua na Região há 43 anos será derrubado no dia 22 de setembro, com a eleição de um governo do PS liderado por Paulo Cafôfo.

Emanuel Câmara referiu que a coligação com a sociedade civil “será determinante” para que “escrevamos uma página bonita na história democrática da Região Autónoma da Madeira”.

O líder dos socialistas madeirenses destacou também, na sua intervenção, a importância das legislativas nacionais de 6 de outubro, altura em que os portugueses terão a oportunidade de voltar a eleger António Costa como primeiro-ministro, salientando a abrangência, a renovação e a paridade das listas do PS para os dois atos eleitorais.

 

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019