1070

21 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Bruxelas
Pedro Silva Pereira eleito vice-presidente do Parlamento Europeu

Pedro Silva Pereira eleito vice-presidente do Parlamento Europeu

Na eleição que decorreu esta quarta-feira, em Bruxelas, Pedro Silva Pereira foi o segundo candidato à vice-presidência mais votado, com 556 votos, tendo sido ainda o candidato socialista que obteve mais votos.

 

Falando após a eleição, Silva Pereira disse estar “muito satisfeito com a votação, dificilmente podia ter sido melhor”, acrescentando que a eleição “valoriza a voz de Portugal na Europa” e constitui “um importante reconhecimento internacional do trabalho” que tem desempenhado no Parlamento Europeu (PE).

“Vejo a vice-presidência como uma importante trincheira para defender a democracia europeia. As negociações dos últimos dias mostram bem como precisamos de valorizar a democracia europeia e de reforçar o PE para que a vontade política dos cidadãos expressa nas eleições tenha consequência nas decisões políticas da construção europeia”, disse.

Para Silva Pereira, esta eleição “é um sinal de prestígio para Portugal” numa altura em que o país “tem um papel no processo de construção europeia”, como, lembrou o socialista, ficou demonstrado nas negociações para a nomeação dos altos cargos da União Europeia (UE), onde “o primeiro-ministro, António Costa, esteve no centro da contribuição de soluções políticas para o futuro”, concluiu.

Na carta que dirigiu aos eurodeputados, onde apresentava a sua candidatura, o novo vice-presidente afirmara que “não vê a vice-presidência do parlamento como um mero trabalho burocrático, mas antes uma posição política para defesa do projeto europeu e de uma democracia forte”.

Na mesma carta, que foi divulgada durante a manhã de ontem, Pedro Silva Pereira considera que a função do Parlamento Europeu deve ser reforçada por forma a que “a vontade política dos nossos cidadãos possa ser totalmente respeitada”.

O dirigente socialista salienta o seu papel como eurodeputado na legislatura anterior onde geriu diversos “dossiês sensíveis”, entre os quais “a recomposição do Parlamento para esta legislatura, a reforma do mecanismo de estabilidade europeu, os acordos comerciais com o Japão ou o financiamento para os objetivos do desenvolvimento sustentável”.

 

14 vice-presidentes e cinco questores

O Parlamento Europeu elegeu ontem os novos 14 vice-presidentes, entre os quais Pedro Silva Pereira, e os cinco questores para os próximos dois anos e meio.

De referir que os vice-presidentes podem substituir, quando necessário, o presidente do PE no exercício das suas funções, incluindo presidir às sessões plenárias. Os questores tratam das questões administrativas que afetam diretamente os eurodeputados.

Os vice-presidentes e os questores são também membros da Mesa, o órgão responsável pelas questões administrativas, de pessoal e organizacionais do Parlamento e pela elaboração do anteprojeto de previsão de receitas e despesas da instituição.

Vice-presidentes, por família política e nacionalidade:

  • Mairead McGuiness (PPE, Irlanda)
  • Pedro Silva Pereira (S&D, Portugal)
  • Rainer Wieland (PPE, Alemanha)
  • Katarina Barley (S&D, Alemanha)
  • Othmar Karas (PPE, Áustria)
  • Ewa Bożena Kopacz (PPE, Polónia)
  • Klara Dobrev (S&D, Hungria)
  • Dita Charanzova (Renew Europe, Chéquia)
  • Nicola Beer (Renew Europe, Alemanha)
  • Lívia Jaroka (PPE, Hungria)
  • Heidi Hautala (Verdes/ALE, Finlândia)
  • Marcel Kolaja (Verdes/ALE, Chéquia)
  • Dimitrios Papadimoulis (CEUE/EVN, Grécia)
  • Fabio Massimo Castaldo (não inscrito, Itália)

Questores, por família política e nacionalidade:

  • Anne Sander (PPE, França)
  • Monika Benova (S&D, Eslováquia)
  • David Casa (PPE, Malta)
  • Gilles Boyer (Renew Europe, França)
  • Karol Karski (ECR, Polónia)

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019