1102

05 Dez 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

HABITAÇÃO
Programa 1º Direito arranca com 700 milhões de euros
AUTOR

João Quintas

DATA

30.05.2019

FOTOGRAFIA

dr

Programa 1º Direito arranca com 700 milhões de euros

O primeiro acordo de financiamento do programa 1º Direito foi assinado ontem entre o Governo e o município de Arruda dos Vinhos. O programa de apoio ao acesso à habitação dispõe de um valor inicial de 700 milhões de euros.

 

O Governo e o município de Arruda dos Vinhos celebraram ontem o acordo de financiamento no âmbito do “1.º Direito - Programa de Apoio ao Acesso à Habitação”.

Através deste acordo, o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) vai financiar a requalificação do Bairro João de Deus, em Arruda dos Vinhos.

No âmbito da cerimónia, o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, salientou que o 1º Direito tem como objetivo não “só conseguir uma casa para todos”, como garantir “condições habitacionais dignas, porque cada cidadão tem direito a uma vida decente, digna e o Estado é apenas o instrumento que uma sociedade democrática usa coletivamente para dar resposta a quem precisa”.

O ministro reforçou a ideia de que “os prolemas dos outros são os nossos problemas" e garantiu que o Estado “não retira liberdade a ninguém, assegura sim liberdade a todos”.

Pedro Nuno Santos sublinhou a importância e necessidade de um Estado forte enquanto garante da liberdade, referindo que “a liberdade que fica só para alguns quando o Estado não tem força”, disse.

“A ideia de que somos mais livres quando o Estado recua é uma grande mentira. Não é livre um cidadão que não consegue ter uma casa com condições dignas. Não é verdadeiramente livre quem vive numa casa sem que essa casa lhe garanta condições de salubridade, segurança e estabilidade. Não é livre esse cidadão”, defendeu o governante.

O responsável pela pasta da Habitação insistiu na importância que a habitação assume enquanto elemento indispensável à liberdade individual dos cidadãos.

“Não são livres também, na classe média, os jovens que querem constituir família e sair da casa dos pais e não conseguem fazê-lo. Não são livres os nossos idosos que não conseguindo pagar a renda são despejados. Não são livres os cidadãos que não têm acesso à habitação”, disse Pedro Nuno Santos.

 

700 milhões de euros até 2024

O Governo tem destinados 700 milhões de euros do Orçamento do Estado para o 1.º Direito, por forma a dar resposta às necessidades habitacionais, até 2024, sendo que esta verba poderá chegar aos 1700 milhões de euros através de empréstimos bonificados.

O programa de apoio ao acesso à habitação prevê comparticipações que variam entre os 30% e os 60% a fundo perdido. As autarquias locais, por seu lado, podem obter a restante verba recorrendo a empréstimos e suportar até 90% do valor, sem que isso conte para a capacidade de endividamento.

Na sessão, que contou com a secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, que assinou juntamente com o secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, o ministro Pedro Nuno Santos convidou os autarcas presentes a apresentarem, à imagem do município de Arruda dos Vinhos, as suas Estratégias Locais de Habitação e aderirem ao programa.

 

 

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019