1068

17 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Madeira
Programa do PS responde aos desafios da próxima década
AUTOR

Partido Socialista

DATA

10.09.2019

FOTOGRAFIA

dr

Programa do PS responde aos desafios da próxima década

O candidato do PS à presidência do Governo Regional da Madeira, Paulo Cafôfo, apresentou ontem, na Ponta do Sol, o programa eleitoral do partido para as eleições legislativas regionais do próximo dia 22 deste mês, apontando a mudança de governo como crucial para o desenvolvimento da Região.

 

“Só o PS tem uma estratégia de desenvolvimento para a década na Madeira e Porto Santo”, que resulta de “centenas e centenas de horas de trabalho, que envolveram reflexão, debate, auscultação de outras pessoas da sociedade civil e instituições”, afirmou.

No centro cultural John dos Passos, o candidato socialista à liderança do Governo Regional salientou que esta não é uma candidatura contra ninguém, e sim a favor da Madeira, colocando as pessoas no centro das prioridades e envolvendo-as nas decisões. Neste sentido, salientou a importância dos Estados Gerais, promovidos ao longo do último ano, agradecendo o contributo dos coordenadores das diferentes áreas.

Afirmando que o programa está fechado e que o PS está preparado, Paulo Cafôfo não deixou de se referir aos “Velhos do Restelo da política que acham que não é possível e que nós não vamos conseguir, que não acreditam e não sentem o vento da mudança, o vento da esperança”.

O cabeça de lista do PS-Madeira quer uma “governação progressista e humanista”, com uma Madeira aberta, inclusiva e sustentável, e adianta que o combate às desigualdades é transversal nas linhas do programa eleitoral.

 

Emprego, Saúde, Qualidade de Vida e Inovação

No programa do PS-M, estão definidos quatro eixos principais: Emprego e Oportunidades; Saúde e Solidariedade; Qualidade de Vida; e Mudança e Inovação.

No que se refere ao primeiro eixo, Paulo Cafôfo apontou as prioridades à criação de emprego, à economia, à educação e à coesão territorial, preconizando uma Região que crie oportunidades. Ainda no campo económico, o incentivo aos setores inovadores, como as tecnologias e a economia do mar, a par da inovação e do investimento nos setores tradicionais, nomeadamente na agricultura, na pesca e no turismo, são outras das linhas de ação do programa do PS.

Por outro lado, e no que se refere ao segundo eixo, Paulo Cafôfo apontou a Saúde como uma prioridade, sublinhando que o Sistema Regional não pode falhar, como tem falhado, indicando também a necessidade de resolver o problema das listas de espera, que se tem vindo a agravar.

No que concerne à área da qualidade de vida, Paulo Cafôfo considerou que é preciso “olhar o ambiente como a nossa garantia de futuro” e afirmou que é possível rentabilizá-lo economicamente, “sempre de uma forma sustentável, para não pôr em causa o seu uso pelas próximas gerações”. Defendeu, por outro lado, a democratização e o acesso à cultura, a qual constitui também um valor económico que não pode ser desvalorizado.

 

Aperfeiçoamento da Autonomia

Paulo Cafofo defendeu também, na sua intervenção, um aperfeiçoamento da Autonomia, em articulação com o Governo da República.

“Eu acredito que podemos aumentar a Autonomia se nós conseguirmos dar mais benefícios económicos, mais benefícios sociais para todas as pessoas e não só para alguns. E isso vai ser feito, garantindo de uma forma firme esta Autonomia, de uma forma intransigente, mas negociando e articulando com o Estado e a República”, declarou.

Após a apresentação, o candidato manteve um diálogo com os autarcas do Porto Moniz, Emanuel Câmara, da Ponta do Sol, Célia Pessegueiro, do Funchal, Miguel Silva Gouveia, e de Machico, Ricardo Franco, tendo sido ainda realizada uma conversa com um grupo de jovens sobre os desafios e as preocupações que se colocam a esta faixa populacional, como a questão do desemprego jovem e a falta de oportunidades na Região.

Emanuel Câmara, que é também presidente do PS-M, disse que o partido está preparado para ser poder regional, muito fruto do trabalho que tem sido feito pelos autarcas, mostrando-se convicto de que a 22 deste mês o PS vai protagonizar a alternância do poder. “Nós vamos conseguir fazer história”, rematou.

 

 

AUTOR

Partido Socialista

DATA

10.09.2019

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019