1069

18 Out 2019

| diretora: Edite Estrela

EDIÇÃO DIGITAL DIÁRIA DO ÓRGÃO OFICIAL INFORMATIVO DO PARTIDO SOCIALISTA

Parlamento
PS quer igualdade de género nas candidaturas à carreira diplomática

PS quer igualdade de género nas candidaturas à carreira diplomática

O Grupo Parlamentar do Partido Socialista alertou o Ministério dos Negócios Estrangeiros para a necessidade de haver igualdade de género nos concursos públicos para ingresso na carreira diplomática.

 

“Os últimos concursos revelaram uma clara e preocupante disparidade entre o número de mulheres e o de homens selecionados”, lamentam os deputados Margarida Marques, Catarina Marcelino, Constança Urbano de Sousa, Elza Pais, Ivan Gonçalves, Lara Martinho e Susana Amador.

Segundo os deputados socialistas, “essa realidade leva a que haja necessidade de uma prática continuada que promova o equilíbrio de género na lista final de seleção”.

“Se há questões em que há um género que se distancia na qualidade da resposta, significa que essas mesmas estão tendencialmente orientadas para um dos géneros”, garantem. Assim, o “exercício de avaliação das questões submetidas a esta preocupação deve ser feito de forma sistemática, como o fazem várias organizações internacionais”, defendem os parlamentares, na pergunta enviada ao Governo.

Os deputados do PS garantem que tal exercício “levará a que as questões a que os candidatos são submetidos possam ser mais equilibradas, assegurando no final o equilíbrio de género desejado”.

 

“Portugal ganha com um Corpo Diplomático marcado pela igualdade de género”

Margarida Marques, Catarina Marcelino, Constança Urbano de Sousa, Elza Pais, Ivan Gonçalves, Lara Martinho e Susana Amador não deixam de sublinhar que o Governo se tem “empenhado do ponto de vista legislativo e político na promoção da igualdade de género, a todos os níveis, e tem vindo a reforçar essa ambição ao longo do tempo”.

Por isso, as parlamentares e o parlamentar socialistas pedem ao Executivo que submeta todos os candidatos, “sem tolerância, mas com exigência, em condições de efetiva igualdade às provas necessárias para assegurar o perfil e as competências desejadas”.

Os deputados do PS perguntam ao Ministério dos Negócios Estrangeiros quais os critérios que introduziu no regulamento do concurso público a decorrer – que abriu dia 8 do presente mês e estará aberto por 15 dias – de forma a assegurar um “recrutamento equilibrado”.

Capa Edição Papel
 
EDIÇÃO Nº1414
Agosto 2019